top of page

Planejando o Financiamento Imobiliário: Como Fazer Escolhas Inteligentes para o Futuro


A decisão de comprar um imóvel é uma jornada que se estende ao longo do tempo. O financiamento imobiliário, que acompanha essa jornada, pode se estender por vários anos. Ao final desse período, é esperado que muitas coisas tenham mudado: sua carreira, sua família, talvez até seus filhos tenham crescido. Portanto, é crucial se informar adequadamente para fazer uma escolha que não só se ajuste à sua situação atual, mas também às suas expectativas para o futuro.





Comprometimento da Renda:

É essencial que a prestação do financiamento não comprometa mais do que 20% da renda declarada. Embora alguns bancos possam aprovar até 30%, é prudente evitar uma parcela tão grande da renda.





Valor de Entrada:

Nenhum financiamento oferece cobertura total para a compra do imóvel. Assim, é necessário pagar de 10% a 30% do valor do imóvel como entrada. Enquanto os imóveis vendidos na planta possibilitam parcelar essa entrada diretamente com a incorporadora.





Tabelas de Amortização:

Existem dois modelos predominantes: Tabela SAC (Sistema de Amortização Constante) e Tabela PRICE, ou amortização crescente. Na SAC, as prestações diminuem ao longo do tempo, enquanto na PRICE, elas aumentam. A escolha entre elas depende do seu momento de carreira e perspectivas de crescimento de renda.





Taxa de Juros:

Devido ao longo prazo do financiamento, as taxas de juros costumam ser mais baixas. No entanto, elas variam conforme a linha de crédito. Programas como o da Caixa, baseados no FGTS, oferecem as taxas mais baixas, enquanto outros programas podem ter taxas mais altas, mas sempre dentro dos limites estabelecidos pelo Sistema Financeiro da Habitação (SFH).





Correção Monetária:

A maioria dos financiamentos utiliza correção monetária, geralmente baseada na Taxa Referencial de Juros (TR) ou no Índice Nacional de Custos da Construção (INCC).





Garantias:

Normalmente, o próprio imóvel serve como garantia do financiamento, utilizando regimes de alienação fiduciária ou hipoteca. Cada regime possui suas particularidades em termos de posse do imóvel e taxas de juros.





Documentação Necessária:

Para fechar o contrato de financiamento, é necessário apresentar documentos pessoais e comprovantes de renda. O valor do financiamento é definido após avaliação do imóvel por um engenheiro independente, garantindo que o valor do financiamento esteja alinhado com o valor de mercado.


O mercado imobiliário está em constante evolução, e estar bem informado é fundamental para tomar decisões acertadas na hora de investir em um imóvel.

8 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page